Alguns amigos, e até mesmo pessoas estranhas, após lerem o meu post anterior (que eu transformei nesse post agora) mandaram por emails, ou me incomodaram no MSN para que eu postasse mais daquilo que meus conhecidos chamam de "Momentos Danilo". Pois bem, segue abaixo todos que eu me lembrei. Se não tiverem saco não leiam. Eu mesmo não li. Só escrevi.


Só queria ser atendido (Out/2004)

A 2 anos eu pago plano ortodôntico sem atrasar um mês sequer.

Devido a minha mudança de endereço, não recebi o boleto em casa e acabei esquecendo de pagar esse mês. Hoje foi minha consulta de rotina, e assim a merda toda começou:

- Sr. Danilo (claro, todo mundo que paga alguma coisa é senhor!), eu vou te encaminhar a secretária do consultório para eles autorizarem o sr. a passar por consulta hoje, visto que não foi pago o boleto desse mês ainda.
- Ok. Sem problemas. Onde é isso.
- No fundo do corredor e tal.

- Eu vim aqui pra vocês me autorizarem a ser atendido hoje.
- Hum...deixa eu ver. Vou chamar a moça que autoriza.

(pensou eu: moça que autoriza? Deve ser um novo cargo que criaram. Qual a sua profissão? Sou a moça que autoriza!)

- Olá Sr. Danilo. Infelizmente não poderei autorizar, pois aqui consta que tem um boleto que está em débito.
- Sim. Eu mudei de endereço recentemente e não recebi em casa, logo esqueci de pagar. Mas eu tenho o dinheiro em casa. Se você me autorizar a ser atendido, logo que sair daqui eu vou pro banco e pago.
- Eu não posso autorizar sr.
- Como não? Você é a moça que autoriza! Se a moça que autoriza não pode autorizar quem é que pode? Você não é a moça que não autoriza. Você é a moça que autoriza. Me autorize por favor.
- Olha, vamos fazer o seguinte. Você vai pra casa, pega o dinheiro e volta aqui e marcamos uma consulta para amanhã pra você.
- Olha, vamos fazer outra coisa? Eu não vou pra casa e não gasto gasolina de novo, você não me faz ter que perder outro dia de trabalho, eu sou atendido, fico feliz, volto para casa e pago.
- Não posso fazer nada sr. O Sr. não pagou o boleto desse mês!
- Ok, eu já tentei, mas vou explicar de novo. Talvez me entenda melhor agora. Veja bem. Eu sei que não paguei, pois como disse aconteceram problemas particulares e esqueci de pagar. Porém eu tenho o dinheiro em casa. Pode puxar no sistema que você vai ver que em 2 anos eu nunca atrasei uma sequer. Não é possível que 1 mês atrasado tenha mais valor do que 2 anos em dia. Além do mais, o que acham que eu vou fazer? Que não vou pagar nunca mais? Acha que eu vou passar a perna em vocês? Acha que eu vou ser atendido hoje pela dentista e depois fugir para o Himalaia com o aparelho na boca? Eu só quero ser atendido. Só isso!
- Sei senhor. Porém não posso fazer nada.
- Porque não? Você é a moça que autoriza! Se você não autorizar serve pra que?
- Eu não posso.
- Olha, basta você dar um visto na autorização e pronto! Você pode, você consegue! Tenha boa vontade por favor!
- Eu não posso sr.
- Na verdade você não quer né, vamos abrir o jogo.
- Eu não posso sr.
- Então vamos fazer assim. Chame alguém que pode que eu converso com essa pessoa.
- Sr., minha gerente está muito ocupada e não vai poder recebê-lo.
- Então vamos fazer um trato? Eu vou ficar aqui de pé xingando você até ela poder me atender. Pode ser sua vaca do caralho?
- Você está faltando com o respeito.
- To sim, vai se fuder!
- Calma...
- Estou calmo, segura minha rola...
- Um minuto que vou chama-la seu grosso...
- Ah..agora ela pode me atender né.

(todo mundo olha pra mim como se eu fosse um desrespeitador. Porém ninguém vê o que realmente é a falta de respeito. Eu pelo menos prefiro mil vezes ser xingado por alguém do que pagar uma coisa e não poder usá-la).

Pois bem. Mandaram eu esperar. E eu esperei. Mas esperei de pé. Em frente o balcão da moça que autoriza. Olhando pra ela. Passado 15 minutos a gerente me atendeu.

- O que o sr. deseja.
- Eu só quero ser atendido.
- Pois bem. Eú já soube do seu caso.
- Então. A moça que autoriza não me autorizou. Poderia me autorizar por favor.
- Eu não vou poder, pois eu não posso fazer nada. Você está com um boleto atrasado. É norma da empresa.
- Ela já me disse isso. Mas eu pensei que você fosse mais importante do que uma norma. Ou não é?
- No momento não sou.
- Então o que eu faço.
- Vá pra casa buscar o dinheiro e nos pague que marcamos outra consulta.
- Eu moro longe. Não me faça perder outro dia de trabalho.
- Mas é sua mensalidade que paga o material que usam em seu atendimento. Se você não pagar não tem como.
- Eu só quero trocar as borrachinhas do meu aparelho. Você está dizendo que elas custam R$ 70,00?
- Eu não posso fazer nada.

Então eu tive aquilo que os meus amigos chamam de "momento Danilo".

- Bom, .então senhora, vamos fazer uma coisa: vocês não estão sendo legais comigo certo? Então eu também não vou ser legal. Pelo contrário. Eu vou ser chato pra caralho! Vou ficar sentado aqui e só sair se me atenderem.
- Você não pode ficar aqui.
- Claro que posso. Vocês me convidaram pra entrar aqui!
- Mas aqui é a gerência.
- Grande bosta. Se fosse a presidência eu até pensava. Mas gerencia? Você é a gerente? Devia se vestir melhor para gerente.
- Olha, por favor se retire.
- Não tô afim não.
- Assim você não vai resolver nada.
- E nem você. Você nunca resolve nada. E além do mais eu não to afim de resolver nada mesmo. Eu estou afim de chatear.

Então eu comecei a fazer comentarios idiotas a respeito de todos que estavam na sala do tipo: -Essa aqui é tão gorda que pra achar o cú dela eu preciso de um mapa... ou então: -E essa moça que autoriza aqui? Usa sutiã com enchimentos. Acha que tá enganando quem? Assuma suas azeitonas.

- Você está sendo infantil
- Sim. Eu estou afim de ser infantil também. Porque só vocês podem me chatear? Eu também quero chatear um pouquinho poxa.

O gordo que estava na mesa do lado me ameaçou:

- Olha é melhor tomar cuidado com o que você diz.
- Porque? Você vai me dar uma barrigada?
- Eu vou chamar a segurança.
- E o que a segurança vai fazer? Eles não podem me relar a mão. Eles não são da polícia...ou são?
- É... então nesse caso eu vou chamar a polícia...
- E o que vocês vão dizer pra polícia?
- Que você está sendo inconveniente
- E é crime ser inconveniente?
- Eu vou cancelar o plano.
- Mas você não pode cancelar o plano, porque está no nome da minha mãe. Não pode cancelar sem minha mãe aqui pra assinar.
- Eu dou um jeito.
- Ah... então você não consegue burlar uma norma da empresa pra me ajudar, mas consegue burlar uma norma da empresa pra me fuder. Quer saber. Pega a quebra do contrato, imprimi, eu assino, você assina, depois eu enrolo e enfio no meio do seu cú... e no cú desse gordo intrometido também.

E aí começou a baixaria. Até que chamaram a segurança. A situação foi se agravando. E vou resumir tudo. Das 14h30 as 16h30 eu fiquei xingando todos.

Tudo que eu queria era ser atendido.

Liguei pra minha mãe e ela levou o dinheiro. Agora era uma questão de honra pra mim ser atendido naquele dia. Minha mãe chegou. com a grana e ia entrando na sala eu disse:

- Não mãe. Não entra! Vão chamar a polícia.
- Entre senhora!
- Ela pode eu não posso!
- Senhora, seu filho estava aqui descontrolado nos ofendendo.
- Além de gorda é fofoqueira!

E por ai foi a baixaria até que disseram que iam me atender.

- Mas se eu não for atendido nesse exato momento, eu volto aqui, e começo a chatear de novo, ok? Pois estava marcado a consulta para as 14h00 e 13h30 eu estava aqui.
- Olha...o próximo paciente vai ser você...
- Ok...

Fui lá..fui atendido. E sai com minhas borrachinhas novas. Mas não resisti e tive que voltar lá.

- O menina que autoriza, gerente gorda e pança ameaçadora. Estão vendo? Fui atendido!

E fui embora e foi isso...

Eu queria ser legal... mas me obrigaram a ser chato. E eu adoro ser chato.



Lugar de Lixo é no Lixo (Dez/2003)

Eu estagiava no Depto. de Marketing de um Shopping. Não querendo me gabar, mas meu trabalho era muito elogiado por lá. Todos gostavam muito das minhas criações. Minha gerente então prometeu que eu seria efetivado, pois segundo o Depto., meu serviço era essencial e blá blá.

Foi aí que o jogo começou a virar. As coordenadoras, que até então se davam bem comigo, começaram a colocar no meu. Mandavam eu fazer serviço de auxiliar de ajudante de servente de pedreiro. Eu não tenho nada contra essa profissão. Mas minhas costas começou a doer de tanto carregar peso. E eu cometi meu erro fatal: Eu disse uma palavra que é proibida no mundo dos estagiários. Eu disse NÃO!

Aí tudo foi água abaixo. E em menos de 1 semana eu estava na rua. Sem mais nem menos. A gerente me chamou, chorou e me mandou embora. Eu ia sair de boa, mas escutei certo comentarinho que despertou em mim o desejo de fazer alguma coisa ruim:

- Hunf..tomara que o próximo estagiário não seja lixão como o Danilo...

Pensei eu com meus botões despedidos: -Oras...se eu sou lixo, tudo que fiz é lixo... e lugar de lixo é no lixo...

Fui na sala da gerente e pedi autorização para pegar alguns arquivos pessoais que estavam no micro. Sentei na minha mesa, liguei o PC, e apaguei trabalho por trabalho que eu fiz. Um por um. Sem pressa. Trabalho de um ano inteiro. Depois gravei arquivos brancos por cima, para que backups ficassem em brancos. E fui embora.

Na hora do almoço meu telefone tocou. Era do Shopping, a gerente do RH, (ninguém do Depto. de Marketing queria falar comigo):

- Danilo.
- Eu mesmo.
- E aí..acho que aconteceu um acidente... você foi pegar seus arquivos no computador e sem querer apagou eles não foi isso?
- Não, não. Eu apaguei por querer mesmo.
- Foi um acidente?
- Não, não, foi por querer mesmo...
- Mas por que você fez isso?
- Só se manda alguém embora se o trabalho dessa pessoa não é bom. Como eu fui mandado embora, pensei que meu trabalho não era bom. Então apaguei. Fiz um favor pra vocês.
- Mas você não pode fazer isso. Esse trabalho era do shopping. Nós pagamos você pra fazer ele.
- Exatamente. É como o telefone. Eu pago todo mês. Quando eu deixo de pagar eles cortam o serviço. Eu fiz o mesmo. Se vocês não pagam mais o Danilo, não vão ter o serviço do Danilo.
- Você gravou os dados que apagou pra você?
- Sim. Todos eles. Estão aqui comigo em CD.
- Olha, o servidor conseguiu recuperar tudo que você apagou.
- Que maravilha!
- Mas daria pra você entregar uma cópia desse CD pra gente?
- Pra quê? Vocês não recuperaram tudo?
- Sim, mas é que isso iria agilizar alguns procedimentos.
- Ah..eu não to afim de agilizar nada sabe.
- Nós vamos consultar um advogado. Porque você era funcionário daqui...e isso é crime...
- Eu era estagiário..tanto é que meu contrato reza que eu estava aí para aprender não para fazer serviço... Sem contar que como estagiário eu não tinha vínculo empregatício nenhum aí com o Shopping... Eu teria semana que vem..mas mandaram embora antes... então vê aí com o advogado e depois me liga.
- Você é muito infantil.
- Posso ser... mas fui um infatil que fudeu legal. Porque só vocês tem o direito de me fuder? Porque eu não posso fuder vocês um pouquinho que seja também? Que egoísmo é esse agora?

Bom...resumindo a história, até hoje eu não entreguei o CD. E fico feliz, porque quando visito o shopping, vejo que, a qualidade das peças de comunicação e marketing decaíram muito. Pra falar a verdade, estão um verdadeiro lixão.



O bilhete da discórdia (Fev/2003)

Era uma sexta-feira. Estava de saco cheio de trabalhar. Quem mora no Grande ABC e depende do troléibus para transporte sabe como é precário essa merda. Saí do meu serviço por volta das 18h00 e peguei o tal troléibus. Enfiei o bilhete na catraca e foi rejeitado. Enfiei de novo e mais uma vez rejeitado. Então disse ao motorista:

- Olha...o bilhete não está funcionando.
- Então desce.
- Não..eu paguei pelo bilhete o preço que sua empresa pediu. Nem 1 centavo a menos. Senão funciona, o azar é de vocês, daqui não desço.
- Se você descer não saio com o troléibus.
- Porque não? Você por acaso ganha por comissão, senhor?
- Senhor o caramba.
- Então nesse caso, já que você não é senhor vou lhe dizer uma coisa, seu filho de uma puta, chifrudo e corno do caralho, se eu fosse ladrão entrava de graça nessa porra, roubava todo mundo e você ficava com o cú na mão e não falava nada, mas como eu estou voltando cansado de um trabalho de merda você quer bancar o machão comigo e vai tomar no meio do séu cú!

Então começou toda uma série de baixarias, onde tive a oportunidade de expor a um troléibus lotado todo meu repertório de palavrões, e ainda criar mais alguns.

Com o troléibus parado no meio da avenida, o motorista se levantou e ameaçou me agredir, e eu xingava mais ainda, pedindo para ser agredido mesmo, essa coisa toda de briga. Depois de quase uns 5 minutos de baixaria, o motorista, viu que eu não ia descer mesmo e disse para os passageiros:

- Se vocês não expulsarem esse filho da puta daqui, eu não saio com o troléibus.

Retruquei:

- Vocês vão ficar do lado dele mesmo? Vocês pegam essa merda lotado todo dia pra ir trabalhar, andam amassado pior que gado sendo transportado, tem salário descontado do holerith por causa dessa bosta que só atrasa e vão dar ouvido pra esse filho da puta? Vão tomar no cú todos vocês!

Aí um cidadão que estava no meio do troléibus veio até mim e me deu um bilhete. Peguei o bilhete, passei na catraca e disse:

- Pronto...agora estou com o bilhete certo...pode andar.

O motorista, sem resposta, sentou no banco, começou a dirigir e resmungar:

- Esse cara foi um idiota de ter dado bilhete pra esse filho da puta.
- Tá falando ainda seu..corno, vai tomar no seu cú....

E por aí foi um bate boca, até que um passageiro muito dos filho da puta disse:

- Motorista, para o troléibus que agora eu vou expulsar esse filho da puta daí.

Eu olhei pra trás e disse:

- Pode vir, eu adoraria ver isso. Eu só quero ir pra casa e nada mais, mas eu juro, se você relar um só dedo em mim você está fudido.
- Opa..não vou relar a mão em ninguém...vou pedir licença.
- Tudo bem..então nesse caso pode passar.

Ele ficou puto e saiu resmungando e sumiu no meio do povo, dentro do troléibus....não o vi mais até então. O motorista vendo que não consegui ser expulso e estava indo pra

Escrito por Danilo Zero às 13h31
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]
<-- s i t e !
 
Posts Arquivados
   01/01/2007 a 31/01/2007
   01/11/2006 a 30/11/2006
   01/09/2006 a 30/09/2006
   01/08/2006 a 31/08/2006
   01/07/2006 a 31/07/2006
   01/06/2006 a 30/06/2006
   01/05/2006 a 31/05/2006
   01/04/2006 a 30/04/2006
   01/03/2006 a 31/03/2006
   01/02/2006 a 28/02/2006
   01/01/2006 a 31/01/2006
   01/12/2005 a 31/12/2005
   01/11/2005 a 30/11/2005
   01/10/2005 a 31/10/2005
   01/09/2005 a 30/09/2005
   01/08/2005 a 31/08/2005
   01/07/2005 a 31/07/2005
   01/04/2005 a 30/04/2005
   01/03/2005 a 31/03/2005
   01/02/2005 a 28/02/2005
   01/01/2005 a 31/01/2005
   01/12/2004 a 31/12/2004
   01/11/2004 a 30/11/2004
   01/10/2004 a 31/10/2004
   01/09/2004 a 30/09/2004
   01/08/2004 a 31/08/2004
   01/07/2004 a 31/07/2004


Links Legais (ordem alfabética)
   Adão Iturrusgarai
   Allan Sieber
   Ana Luz
   André Dahmer
   Angeli
   Antropofocus
   Areia Hostil
   Arnaldo Branco
   Bagunça Organizada
   Beto
   Banda Grossa
   Benett
   Blog do Tas
   Bruno Motta
   Caco Galhardo
   Caio Lancharge
   Ceson
   Carlos
   Chiquinha
   Claudio Mor
   Clube da Comédia
   Clube da Comédia Blog
   Cortante
   Dani Gump
   Daniel Lafayette
   Diego Cardona
   Diogo Portugal
   Emilio Boechat
   Erik
   Fernando Gonzales
   Flávio
   Gabriel Renner
   Galvão
   Glauco
   Guabiras
   Gustavo Daher
   Izidro
   Juliana Destro
   Koostela
   Laerte
   Leo Mágico
   Lourenço Mutarelli
   Lupe
   Marcela Leal
   Márcio Baraldi
   Marcio Reiff
   Marjorie
   Mauricio Rett
   Mico na Rede
   Milla
   Moskito
   Muamba
   Murilo Gun
   Nadaver
   Natan
   Nômade Urbano
   Nona Arte
   Orlandeli
   Ota
   Pablo Mayer
   Pato de Laranja
   Plínio Fuentes
   Programa 98 in rock
   Pryscila
   Rafinha Bastos
   Raquel Gompy
   Revista F
   Rômolo
   RoninSoul
   Ryot
   Sassá
   Shantall
   Sheyla
   Tieli
   Uma dama não comenta
   Vote Nulo
   Zefiuza
Vota aí...
  Dê uma nota pra isso aqui!

 



 

apenasdanilo@gmail.com